Guerreiros também choram

Quando eu tinha 12 anos de idade, meus pais se separaram. Foi traumático, todos ficaram tristes, tanto eles quanto meu irmão e eu, mas a gente vai levando a vida e superando os traumas.

Depois de algum tempo, meu pai apresentou para a gente a nova namorada dele, pessoa muito legal, que está com ele até hoje, bem casados, e deste novo casamento ganhei até uma irmã.

É mais ou menos esta a história do filme “Lado a Lado”, de 1998.

Lado a Lado

O filme é estrelado pela super atriz Susan Sarandon, que na minha referência de Mundo Pop fica marcada neste filme mesmo, mas também em “As Bruxas de Eastwick” e “Alfie, o Sedutor” (eu vejo dramas românticos, me julguem!), e pelo excelente ator Ed Harris, que ficou marcado na minha cabeça pelos filmes “Uma Mente Brilhante” e “Apollo 13”, além de “Appaloosa – Uma Cidade Sem Lei”, que o Fábio já comentou em outro post aqui. Como se não fosse suficiente, ainda há a participação de uma das mais brilhantes estrelas de Hollywood, Julia Roberts (quem ousaria se esquecer da pretty woman de “Uma Linda Mulher”!).

O filme conta a história de Isabel Kelly (Roberts) que, inicialmente, tem que aguentar a responsabilidade de ser madrasta de duas crianças que não a aceitam como figura materna, após o término do relacionamento do pai delas, Luke Harrison (Harris), com a mãe, Jackie Harrison (Sarandon). Além disso, Isabel também tem que lidar com o conflito que tem com Jackie, que acha que ela não é capaz de substitui-la, como mãe de seus filhos.

Mas por que ela tem de substituir Jackie? Bom, o motivo é mostrado no correr do drama, em que ocorre, inclusive, uma certa identificação entre as mulheres do filme, que tem que ser fortes diante das circunstâncias apresentadas.

É um daqueles filmes bem “água com açúcar”, que só servem para a gente ver e chorar até colocar a alma para fora.

Que bom para o meu irmão e eu, que não temos que ter ninguém substituindo a nossa mãe, ao contrário, a nossa “boadrasta” só veio para somar e auxiliar a nossa vida, tanto em conhecimento quanto em companheirismo.

70-nozes

7 Nozes

Por Marcos Moreira: um beijão para ambas, mamãe e “boadrasta”.

  • Marina

    Há uns 15 anos chorei vendo esse filme até colocar minha alma pra fora…..e por ironia do destino….Há pouco tempo cheguei a pensar que fiquei tão abalada com esse filme que acabei atraindo isso pra mim….viagem da minha cabeça. É um filme ótimo, que jamais veria outra vez…não tenho mais alma pra isso

    • Marcos Moreira

      Mas vale ver de novo só pela nostalgia…
      É um bom filme, mas eu não o vejo mais à noite, só na sessão da tarde, se não, me esvaio em lágrimas também.

  • Tina

    Bom filme. Excelente elenco. Fico feliz de ter sido uma boadrasta para vocês dois. Saibam que também cresci com vocês e é muito, muito, muito bom o convívio em família. Amo vocês.
    Tina

    • Marcos Moreira

      Nós também amamos você.

  • Pingback: Sabre na Noz Podcast #026 Noz Revimos – Os Gremlins | Sabre na Noz()

  • Pingback: SNN #078 – Donnie Darko |()