“Peregrina, Peregrina…”

Às vezes você percebe que pode mudar o rumo da vida, quando está andando pelo caminho selecionado e não chega a lugar algum. Aquela escolha que você fez não teve conclusão. Mesmo assim, se dá conta que valeu a pena, pelo conhecimento que adquiriu no caminho. Afinal, nem só de pão ou de água vive o homem.

Isso é mais ou menos o que acontece em “Hermanoteu Na Terra de Godah”, comédia teatral apresentada pela Companhia de Comédia Os Melhores do Mundo.

Esta peça, que já foi apresentada pelo Brasil, no exterior, e até gravada, para apreciação de quem não tem tempo, paciência ou gosto para o teatro, conta a história de Hermanoteu, um hebreu da Pentescopéia, que recebe de Deus a missão de salvar o povo de Godah. Em seu caminho, encontra personagens históricos e figuras memoráveis, que inevitavelmente o leva a concluir seu desígnio, mas não sem colocar no caminho diversos pontos de vista e novas idéias, fazendo com que, em determinados momentos, Hermanoteu chegasse a abandonar suas crenças.

Em cerca de uma hora e meia de peça, que passa com leveza, a comédia adorna esta história com tons diversos, seja na inclusão de caracterizações estereotipadas, nos conflitos e suas relevâncias ou na interação com o público.

Há também a demonstração das diferentes religiões que, desde a antiguidade, procuravam proliferar através de uma dialética tendenciosa, colocando Hermanoteu em situações pitorescas, o que cria muito assunto para discussão, mesmo depois do término da apresentação.

Uma das mais conhecidas e memoráveis cenas é a do encontro de Hermanoteu com Isaac, o último hebreu do Egito, que conta de forma hilária como Moisés livrou seu povo das garras do exército egípcio.

Deste espetáculo, pode-se concluir que a vida não é apenas a escolha de fazer algo para mudar e a obtenção do resultado, mas o caminho trilhado, que contém conhecimentos inesperados, muitas risadas, choros e, principalmente, o contato com as diversidades.

8 nozes

Por Marcos Moreira: que sabe que bebida é água e comida é pasto, mas tem sede e fome de muito mais.