SNN #098 – Na Natureza Selvagem

Guerreiros, em guarda!

Nesta missão, Rafael Motta (@RalfMotta), Clarisse Machado (@clamlemos) e Marcos Moreira (@marvincosmo) vão mostrar o que há de melhor e pior em largar tudo e ir viver Na Natureza Selvagem!

Para baixar este podcast para o seu MP3 player, clique com o botão direito do mouse no link abaixo e selecione “salvar link como…”.

SNN #098 – Na Natureza Selvagem

Não deixe de acompanhar as missões mencionadas neste episódio:

SNN #036 – Livre

SNN #078 – Donnie Darko

Se quiser ter o nosso podcast no seu app de podcasts ou agregador favorito, assine o nosso feed!

Você também pode assinar nosso podcast na iTunes Store!

Conte para nós se você já assistiu este filme, quais são as suas opiniões sobre ele, ou, se não viu, se pretende vê-lo, deixando seu comentário aqui no post, ou mandando o seu e-mail para sabrenanoz@gmail.com.

O Sabre Na Noz também pode ser encontrado no Facebook, Twitter, Instagram, Skoob, Filmow, Tumblr ou no Google Plus!

Agradecimentos especiais ao Rafael Motta pela vitrine!

Continuem a postos para mais missões!

  • Alvaro Ferreira

    Ola, td bem?
    Esse e o primeiro cast de vcs que eu ouço e fui atraido ate aqui pq esse filme ta no meu top 5 da vida.
    Dito isso só queria deixar meus 2 centavos sobre a obra:
    Todo mundo que faz mochilao viaja pra se encontrar. O Supertramp nunca foi babaca, ele era um cara que nao se encaixava na sociedade. As cenas dele com a familia mostram que ele nao aceitava a maneira de a sociedade de conduzir as coisas. Há até uma cena em que ela pede, ou deixa, a irma dirigir o carro e o pai dele questiona isso, mostrando esse conflito de ideias nessas pequenas coisas. Porem apesar de nao ser babaca ele era imaturo e isso fica exposto na maneira dele se relacionar com as pessoas que encontra pelo caminho. Se ele tivesse matutidade suficiente saberia que a chance dele ser feliz esteve em cada pessoa que ele encontrou. O Alex poderia ser feliz sendo filho do casal de hippies, sendo amigo do Vince Vaughn na fazenda ou sendo neto do velhinho no pé da montanha, mas ele so percebeu isso quando era tarde demais.
    Fora essa questao de interpretacao da estoria, o filme tecnicamente é fodastico. A trilha do Eddie Vedder é fantastica, a fotografia do Gautier é belissima e as interpretacoes sao todas de alto nivel, ate a Christian Stuart consegue passar sem comprometer o filme.
    Enfim, essa é uma opiniao de quem adora uma obra, sei que cada um tem a sua e nenhuma deve se sobrepor a outra.
    Como vcs disseram a interpretaçao dos filmes vai mudando com a idade, talvez mais pra frente a Clarisse tenha outra visao dessa estoria.
    Abraços a todos.

    • Olá! Primeiramente quero agradecer seu comentário, e em segundo lugar dizer que eu super concordo contigo! Acho até que foi uma falha nossa pois não comentamos das belíssimas paisagens do filme e da trilha excelente.

      Como o cast é curto, não dá tempo de debulhar tudo da forma que gostaríamos, e eu senti que algumas pessoas me interpretariam mal. Ainda acho que ele foi um babaca (na fase mais nova) e ele realmente não tinha comprometimento ou sentimentos pela família, isso me doeu um pouco. Você veja bem, ele realmente deixou a oportunidade de ser feliz passar, enquanto conhecia todas aquelas pessoas. Foi imaturo durante o filme inteiro, e só descobriu isso quando já estava sozinho e pra morrer.
      O que não torna o filme ruim, de nenhuma forma! Se o cinema é feito para despertar emoções em nós, esse com certeza despertou emoções diferentes em ti e em mim. Mesmo que eu tenha ficado com raiva da história, o filme conseguiu despertar algo, não é? É a função primordial dele!

      Eu fiquei muito pensando na história verdadeira, o cara realmente deixou a família sem notícias e ainda sim a família fez de tudo para respeitar a memória dele, depois gravaram um filme sobre isso e a familia esteve lá, dando consultoria para que ele não fosse desrespeitado. Ele realmente não tinha noção de quem amava ele.

      • Também concordo contigo no sentido de que o filme deve despertar emoções e tudo mais, porém guarde esse filme na gaveta e retire-o de lá daqui um tempo e talvez você sentirá outras emoções. É legal perceber como nossa perspectiva muda com o tempo e como as coisas que vimos e vivemos adquirem outro sentido. Ou você pode não fazer nada disso e tudo bem, também não quero pagar de fodão e passar a impressão de que entendo todos os filmes profundamente e que se você não sentiu a mesma coisa que eu você está errada, nada disso. Cada um tem sua história e suas memorias e isso traz sentimentos diferentes sobre nós e também a coisa legal das opiniões divergentes. Abraço!