SNN #126 – Questão de Tempo

Guerreiros, em guarda!

Nesta missão, Fábio Moreira (@facosmo), Marcos Moreira (@marvincosmo), Rafael Motta (@RalfMotta) e Clarisse Machado (@clamlemos) vão mostrar que com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades, e que todas as decisões que você toma mudam o destino de todos a sua volta! Basta deixar acontecer naturalmente!

Para fazer o download da nossa missão ou ouvi-la em outra aba do seu navegador, basta clicar no link abaixo:

SNN #126 – Questão de Tempo

Não deixe de ouvir as outras missões mencionada neste episódio:

SNN #079 – True Detective S02E01

SNN #082 – True Detective S02E02

SNN #085 – True Detective S02E03

SNN #088 – True Detective S02E04

SNN #091 – True Detective S02E05

SNN #094 – True Detective S02E06

SNN #097 – True Detective S02E07

SNN #101 – True Detective S02E08

Se quiser ter o nosso podcast no seu app de podcasts ou agregador favorito, você pode assinar o nosso Feed, ou então, encontrar o Sabre Na Noz na iTunes Store!

Você também pode mandar a sua mensagem, de texto ou voz, para o nosso Whatsapp! O número é: (21) 99569-0065

Conte para nós se você já assistiu este filme, quais são as suas opiniões sobre ele, ou, se não viu, se pretende vê-lo, deixando seu comentário aqui no post, ou mandando o seu e-mail para sabrenanoz@gmail.com.

O Sabre Na Noz também pode ser encontrado no Facebook, Twitter, Instagram, Skoob, Filmow, Tumblr ou no Google Plus!

Agradecimentos especiais ao Rafael Motta pela vitrine!

Continuem a postos para mais missões!

  • Leandro Silva

    Pessoal, ótimo cast, gostei muito. Com tudo, perdoem-me, mas quando o Marcos perguntou por que o personagem do Domhnall Gleeson não quis um filho menino e sim a menina, está na cara que nunca foi pai mesmo!
    Rapaz, sem ofensas mesmo, mas no dia que vc for pai vc me diz se você vai querer trocar seu filho(a) saudável e tudo mais por outro, ok!
    Digo porque sou pai e amo meu filho com todas as forças e não vejo outra pessoazinha em minha vida que não seja ELE! Entendeu? ELE. Ele é uma pessoa, inteira e única, não um objeto que se possa descartável que se possa mudar a bel prazer. Descupe, Marcos, mas o que não teve sentido nisso tudo foi sua pergunta.
    Outrossim, estou imensamente feliz com esse podcast, devido ao filme escolhido; pode não ser lá uma obra prima de filme mas está no meu top 1 de filmes da minha vida. E querem saber porque? Simplesmente porque eu não sabia do plot dele, apenas li na sinopse sobre viagem no tempo e assisti (sou fissurado em assuntos sobre viagem no tempo) – detalhe, meu pai havia falecido de maneira repentina, novo ainda, aos 60 anos, TRES meses antes. Daria tudo de mim para ter somente mais 2 horas de conversa e abraço com ele!

    Abraços, pessoal, e obrigado por esse presente. Em minha mente eu viajei até o último beijo que dei no meu pai quando veio visitar meu filho. Obrigado.

    • Will, Who?

      Tbm adorei esse filme e assisti somente para acompanhar minha esposa que queria ver uma comédia romântica. Vi muita gente elogiando esse e filme e falei pra ela: “Amor, esse parece ser bom.”, e assisti sem saber muito.
      Ele simplesmente abriu meus olhos em relação a como enxergar os pequenos detalhes da vida. Muito bom…

      Parabéns pelo cast guerreiros… Muito bom. 😀

      • Fabio Moreira

        Este é um ótimo filme para assistir com a namorada.
        Está na minha lista de comédias românticas!!
        Sempre em guarda,
        Abraço.

        • Leandro Silva

          Sabe, assisti com minha esposa tbm. Mas não sei se foi o período que me envolvi com o filme, mas não consegui enxergá-lo muito como uma comédia romântica! Só consigo vê-lo como um filme filosófico ou de existencialismo, sei lá. Fala muito sobre escolhas e sobre viver o momento. Confesso que gostaria muito de ter assistido com meu pai.

      • Leandro Silva

        Não poderia dizer melhor. Realmente esse filme abre nossos olhos para as minúcias da existência.

        • Marcos Vinicius Moreira

          E o filme também faz a gente dar muito mais valor à família.
          Realmente, Leandro, eu falei uma besteira ao fazer aquela pergunta. Afinal, não é possível transferir o amor. A gente ama a nossa família. E eu amo os meus sobrinhos. E peço perdão pelo vacilo.

          Um abraço. Estamos sempre em guarda!

          • Leandro Silva

            Compreendo perfeitamente, e sei que tudo ali na gravação é explanado de forma sucinta pois são vários assuntos, ou tópicos, a serem destrinchados. Não dá pra se aprofundar em tudo e as vezes as coisas são no reflexo mesmo, no calor do assunto. Apenas estranhei e quis levantar essa questão da importância.
            (y)

    • Marcos Moreira

      Fala, Leandro!

      Realmente, depois de ouvir o que falei, tive que tirar o chapéu a você. Não deveria nem ter pensado naquela pergunta.

      Não sou pai, mas, como tio, não há pessoas mais especiais a quem eu queira dedicar todo o meu amor do que meus sobrinhos. Eles são realmente únicos.

      Mas, como falei no podcast de Star Wars: O Despertar da Força (SNN #134), guarde do episódio as coisas boas que a gente falou!

      Um grade abraço, e espero que você continue a nos acompanhar!

      Sempre em guarda!

  • Pingback: SNN #134 – Star Wars: O Despertar da Força | Sabre Na Noz()

  • Pessoal, parabéns pelo cast. Gostei muito. “Questão de Tempo” é assim como outros filmes um dos meus top 3. É emocionante, interessante e ao mesmo reflexivo sobre os assuntos que aborda. Achei muito acertada a escolha do diretor em como usar o recurso fantasioso/sci-fi da viagem no tempo, sem efeitos especiais e ou explicações complexas comuns aos gêneros em que as viagens são mais utilizadas. Em relação ao personagem do Tim e a interpretação do ator, acho que ele foi escolha certa justamente pela capacidade em transmitir toda essa ingenuidade e humor do personagem. Não o conhecia de outros filmes, pra falar a verdade e se o vi dificilmente prestei atenção nele. Provavelmente, pode-se dizer foi a oportunidade certa no momento certo na carreira dele. Sobre o seu par romântico, acredito que ela tenha sido escolhida pela experiência com romances e também pelo seu papel em “Te amarei pra sempre” em que contracena com o “Hulk” Eric Bana num filme que é também um misto romance+drama+viagem no tempo só que com um dose beeeem diferente e não tão boa quanto esse filme.

    Falando em curiosidade, o Bill Nighy já participou de um episódio de Doctor Who, série famosa com a temática de viagem no tempo e que, pra mim, dispensa apresentações.

    Abraço, pessoal e parabéns pelo cast mais um vez.

    Obs; Convido vocês a ouvirem o Leituracast (que eu apresento) sobre Doctor Who.